Venda de produtos usados na internet cresceu 167%

ecommerce

A compra de usados na internet “pegou”!

Pela crise econômica ou pela consciência da sustentabilidade, muitos brasileiros têm buscado produtos de segunda mão.

E basta uma busca rápida na rede para constatar que tem de tudo: móveis, decoração, vestuário, livros, eletrônicos.

E não é à toa. A oferta aumentou porque a demanda cresceu 167% no ano passado, segundo pesquisa da Loja Integrada, uma plataforma online que reúne quase dois mil sites de compra e venda.

O número de lojas de usados subiu 105% em 2015, aumentando o faturamento em 115% na comparação com 2014.

Os eletrônicos são os mais procurados: artigos de informática são 41% das vendas. Esporte e Lazer vêm em seguida com 22% e objetos para bebês atraem 9,5% do total de clientes.

O diretor da Loja Integrada, uma das maiores plataformas de e-commerce da América Latina, Adriano Caetano, explica que o fenômeno pode ter sido impulsionado pela crise econômica no Brasil.

E a crise chegou até ao mercado de luxo. O site Peguei Bode, que só oferece produtos de marcas como Gucci, Hermés, Dior e Dolce & Gabbanatambém tem visto o movimento crescer.

A ideia surgiu em 2011, sem a pretensão de se tornar um negócio rentável, e em cinco anos, o número de clientes cadastrados na plataforma, foi de zero a cinco mil.

Gabriela Carvalho, uma das sócias, explica que, com o dólar a quase 4 reais, muita gente que viajava para ir às compras, está adquirindo peças importadas por aqui mesmo, e buscando preços mais baixos.

Com uma variedade maior de produtos oferecidos, o Enjoei, outro site de compra e venda de usados, viu a movimentação crescer 170% só em produtos usados.

Uma média de 500 mil produtos por mês passando de um usuário a outro.

O site tem hoje uma receita anual que ultrapassa os 120 milhões de reais.

Para o CEO da empresa, Tiê Lima, além da crise, os usuários se sentiram estimulados pela existência de ferramentas que possibilitassem a compra e a venda de usados:

Já entre as maiores empresas do setor, o aumento foi mais tímido, mas bastante representativo:

De acordo com o relatório de resultados de 2015 da OLX, no ano passado, 80 milhões de novos anúncios foram postados na plataforma, o que representa um crescimento de 60% e uma média de três novos anúncios por segundo.

O Mercado Livre, outra grande empresa do ramo, teve alta de 6% na receita no Brasil no ano passado.

O resultado foi acima do esperado e também acima do desempenho que a empresa teve em 2014, quando cresceu 45% em relação ao ano anterior.

Do outro lado, os compradores, que nem sempre buscam uma marca, aproveitam as oportunidades para economizar.

A enfermeira Giseli Rodrigues conta que já pagou até um décimo do preço de sapatos novos em usados e que fez a compra com o dinheiro de objetos que ela havia vendido no mesmo aplicativo:

Os usuários de sites de compra e venda de usados ouvidos pela reportagem não relataram problemas em relação à segurança.

De acordo com os entrevistados, a forma de pagamento pode ser combinada entre o interessado e o vendedor.

Eles ressaltam, porém, que, caso seja necessário marcar encontros para a entrega dos produtos, é importante que isso aconteça em locais públicos.

via

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *